CÓD.N08-S04-94 ONLINE

COVID-19 – figurações metafóricas em modo de roteiro

Quando surgiu uma doença infeciosa e até certo ponto misteriosa como foi o caso do COVID-19, a humanidade dedicou-se a dar-lhe corpo, recorrendo ao acervo das experiências físicas e sociais comummente partilhadas pelos seres humanos. Assim, despontaram, nas mentes humanas, figurações metafóricas que se destinavam a tornar o COVID-19 palpável e visível aos nossos olhos. Logo, desembocaram em agendas de ação, ancoradas no domínio cognitivo do COMBATE, ou seja, da GUERRA (Sabucedo et al. 2020). Esta figuração metafórica primeira do fenómeno viral, fundamental à compreensão deste tipo de doença, foi sendo substituída no tempo por outras imagens mais impactantes e galvanizadoras da ação humana contra uma infeção contagiosa, que se alastrou pelos quatro cantos do mundo, tornando-se num fenómeno pandémico sem precedentes. O presente estudo semântico de cunho cognitivo, suportado na teoria da metáfora conceptual (Lakoff & Johnson 1980), visa traçar um roteiro das sucessivas imagens metafóricas que foram sendo veiculadas, em diversos países europeus, pela classe política, por via da comunicação social online, ao longo do ano de 2020. Tal como preconizam os autores acima citados (op. cit. p.145): “se uma nova metáfora entra no sistema conceptual que orienta as nossas ações, vai introduzir alterações quer nesse mesmo sistema conceptual, quer nas perceções e nas ações que dele vão emergir”. Nesta base, assume-se um duplo objetivo da presente pesquisa de, por um lado, traçar o roteiro das metáforas conceptuais relativas ao COVID-19 gizadas pela classe política, ao longo de vários meses, na imprensa portuguesa e internacional de língua inglesa, tendo em vista a compilação de um banco de dados dos domínios fonte dos mapeamentos metafóricos que se afigurem culturalmente convergentes e, por outro, realizar o rastreamento das imagens metafóricas relativas à pandemia do COVID-19 claramente divergentes no plano conceptual, ou seja, que se revelem culturalmente marcadas. Os resultados emergentes do presente estudo serão certamente reveladores acerca do papel da imprensa internacional online na construção de um acervo metafórico comum e globalizado. É um facto que, para já, salta à vista a necessidade de os líderes políticos dos diversos países usarem a metáfora enquanto ferramenta de persuasão, levando as populações a aceitar situações de confinamento que restringem as liberdades fundamentais de mobilidade e de associação dos seus cidadãos.

Referências bibliográficas

Cockcroft, R. & Cockcroft, S. (2014), Persuading People. An Introduction to Rhetoric, Basingstoke: Palgrave Macmillan.

Hidalgo- Downing, L. & Mujic, B. K. (2009), Infectious diseases are sleeping monsters: Conventional and culturally adapted new metaphors in a corpus of abstracts on immunology. In Ibérica Revista da la Asociación Europea de Lenguas para Fines Específicos N.17, pp. 61-82.

Lakoff, G. & Johnson, M. (1980), Metaphors we live by, Chicago and London: The University of Chicago Press.

Sabucedo, J.-M. et al. (2020), COVID-19 and the metaphor of war. In International Journal of Social Psychology, 35.3, 618-624, DOI 10.1080/02134748.2020.1783840.

Palabras clave

cognição e cultura COVID-19 imprensa globalizada metáfora conceptual persuasão política

Firmantes

Los autores de la ponencia

profile avatar

Rui José Geirinhas

Ver Perfil

profile avatar

Maria Clotilde Almeida

Ver Perfil


Preguntas y comentarios al autor/es

Hay 0 comentarios en esta ponencia


Deja tu comentario

Lo siento, debes estar conectado para publicar un comentario.