CÓD.N02-S03-07 ONLINE

Visualização de dados em vídeos digitais: formas de contar história no jornal Expresso

O jornalismo deu seus primeiros passos na internet na década de 1990 em muitos países. Hoje, nós vivenciamos uma reconfiguração da prática com o uso de dados e de métodos para apuração e transmissão da informação em forma de novas narrativas como a visualização de dados em formato de videográficos. Para entender esse storytelling em dados, analisamos o projeto 2:59 do jornal Expresso, que faz parte do grupo Imprensa, em Portugal. O veículo publica uma média de quatro vídeos a cada mês sobre temas em destaque no mundo de forma online. Para acompanhar é preciso ser um assinante do jornal. Os vídeos elaborados usam de várias técnicas do jornalismo, incluindo o estilo de televisão de apresentar, como também infográficos e dados de assuntos que geram dúvidas e precisam, muitas vezes, serem interpretados. Os infográficos, nesse caso, fazem parte do fazer jornalístico para ilustrar as notícias. Texto e imagem se completam e se tornam explicativos, ajudando o leitor a entender da melhor forma possível o que a informação por escrita quer passar. Esse tipo de narrativa também lembra ao da WebTV, que é um exemplo de convergência (entre televisão e web) que vem buscando construir uma linguagem própria e um formato que consiga sobreviver paralelamente às outras mídias. O jornalismo e a visualização de dados passam a usar informações numéricas e transformá-las em narrativas mais acessíveis ao leitor, fazendo com que esses números gerem conhecimento. Escolhemos o método de Estudo de Caso por entender que se trata de um fenômeno contemporâneo e é usado quando é preciso responder a questões do tipo “como” e “porque”. Percebemos que, por ser um formato interativo, os usuários podem confrontar o tema, pesquisar e construir sua própria opinião. Mas nesse artigo vamos abordar a questão da estrutura dos formatos dos videográficos. Para entender esse formato escolhemos as publicações dos vídeos ao longo de três meses (outubro, novembro e dezembro), por compreender que é um período para analisar a estrutura (apresentação e infográficos), uso de dados e possibilidades de interatividade. Os videográficos escolhidos partem da ideia de que foi buscada uma informação desestruturada, que se tornou dados, para passar pelo processo de informação estruturada gerando conhecimento acerca do fato escolhido. Por fim, entendemos que interpretar os dados numéricos em infográfico e visualização de dados, o público pode captar o invisível, àquela informação que não está aparente em uma observação sobre o assunto abordado. A partir da narrativa visual é que ele consegue estabelecer análises diante do que está sendo exposto.

Palabras clave

expresso Infografía jornalismo de dados Storytelling visualização de dados

Firmantes

Los autores de la ponencia

profile avatar

Silvana Torquato Fernandes Alves

Ver Perfil


Preguntas y comentarios al autor/es

Hay 0 comentarios en esta ponencia


Deja tu comentario

Lo siento, debes estar conectado para publicar un comentario.